sábado, 7 de outubro de 2017

Rebel Love Song cap. 35

6 de Dezembro de 2011, 6:12 pm

Andy e eu estávamos bem, tão bem que eu estava em um dos shows do BVB. Pois é, ele tanto fez que mesmo não estando totalmente recuperado tinha voltado a fazer shows. Eu já não me importava tanto com o que tivemos no passado, e para falar a verdade, eu agora o via como um amigo, e começava a achar que aquela poderia ser uma amizade para a vida toda. Ele tinha um carinho enorme por Sophie que era adorável, bem, não era uma relação 'pai e filha' mas ele estava presente na vida dela, e de certa forma era isso o que importava. Comecei a sair com Thomas, e nos damos muito bem, eu gosto dele, porém estamos apenas nos conhecendo, tanto é que ninguém sabe dos nossos encontros. Não é nada demais ... ainda.
Estávamos eu e Jess, Mandy por incrível que possa parecer, não quis ir. Disse que ficaria em casa ajudando minha Tia a cuidar de Sophie. Ela era louca por aquela menina, tanto é que desistiu de a um show do BVB pra ficar com ela.

Jess : Ai, como eu estava com saudade de ir a um show, mds parece que fiquei anos sem isso
Você : Verdade, parece que faz muito tempo
Jess : Eu preciso me divertir, já que meu namorado não dá a mínima para mim - ri
Você : Falando nisso, por onde anda o John?
Jess : Ta resolvendo umas coisas da faculdade, parece que foi aceito em uma mas é em New York - sorriu triste
Você : Pessoas normais não entram na faculdade aos 17 anos?
Jess : É, mas ele é burro, só conseguiu entrar agora - ela riu, porém ainda com um pouco de tristeza
Você : Sempre soube ... mas vocês vão dar um jeito
Jess : É quem sabe
Andy : A próxima musica se chama Rebel Love Song - eles começaram a tocar e aquela era a primeira vez que eu ouvia a música nova, senti uma energia boa ao escutar o toque (não vou colocar tradução das letras do BVB pq tenho certeza que vocês já sabem)

I can not hide what's on my mind
I feel it burning deep inside - ele me olhou intensamente
A passion crime to take what's mine - como se quisesse dizer algo com aquele olhar
Let us start living for today

Never gonna change my mind
We can leave it all behind - só então comecei a prestar atenção na letra da música
Nothin's gonna stop us
No not this time - podia haver a grande possibilidade de eu ter consumido maconha sem saber e agora estar delirando, mas eu tinha certeza de que de algum forma aquela canção tinha sido escrita para mim, e eu estava chocada, simplesmente chocada

So take your hand in mine - ele sorriu um pouco tímido, porém lindamente
It's ours tonight - eu só sabia que não podia ficar ali, de repente o ar estava mais pesado de se respirar
This is a rebel love song
Hearts will sacrifice
It's do or die
This is a rebel love song - eu não sabia pra onde estava indo, apenas saí do backstage, e fiquei ouvindo a voz de Jess ao fundo. Eu sai praticamente correndo, mas eu não queria que todos aqueles sentimentos voltassem, estávamos tão bem, e era isso que eu queria, somente. Parei em uma área afastada, onde ficavam os camarins e encostei na parede

Jess : Querida, ta surda? Eu te chamei varias vezes - ela se aproximou de mim e analisou o meu rosto preocupada - Mds, ta tudo bem? Você está pálida
Você : Ta tudo bem, eu só me senti um pouco tonta, nada demais - respirei fundo
Jess : Vou pegar uma água pra você, senta aqui - me direcionou a uma cadeira que estava próxima a nós
Você : Não precis - ela já tinha sumido da minha vista. Respirei fundo e fechei os olhos. Talvez eu estivesse fantasiando aquilo, mas a musica parecia mesmo ser uma indireta
Jess : O que aconteceu com você? - ela voltou com uma garrafa de água na mão e me entregou
Você : Nada demais ... acho que foi cansaço, só isso
Jess : Você anda trabalhando demais ultimamente, tenta parar um pouco. Caralho você é rica, e ainda fica se matando de trabalhar?
Você : Eu gosto, me distrai - a olhei e tomei a água
Jess : Distração é uma coisa, se afogar em trabalho é outra
Você : Não estou me afogando em nada, eu apenas gosto do que faço. Olha, eu realmente não estou me sentindo bem, acho que vou pra casa
Jess : É, você não está bem, vamos pro carro
Você : Não, por favor, fica - ela me olhou confusa - Você fica aqui se divertindo, eu não quero estragar seu dia
Jess : Eu não vou te deixar ir sozinha, você sabe disso
Você : Por favor, Jess, é sério, eu vou ficar ainda pior se você não ficar - a olhei sincera, eu realmente não queria estragar o dia dela, ela estava se divertindo apesar de tudo
Jess : Mas e
Você : Eu vou de taxi, não se preocupe, não vou dirigir, ok? Depois do show você passa lá em casa pra deixar o carro e ver como estou, ok? - ela me olhou com cara de raiva, não querendo concordar com aquilo, mas ela sabia que eu não ia desistir e suspirou
Jess : Aaah, ta bem, mas assim que acabar o show eu vou, ok?
Você : Ok - ela me acompanhou até a saída, onde haviam vários táxis, entrei em um deles
Jess : Me ligue assim que chegar
Você : Está bem, não se preocupe, eu estou bem, é sério
Jess : Tem certeza que não quer que eu vá? - a lancei um olhar de reprovação - Tá, tá bom, já entendi. Tchau
Você : Tchau, depois você me conta como foi - dei o endereço ao motorista e ele deu partida. Encostei na janela e começou a tocar uma música na rádio que eu não conhecia (link pra quem quiser escutar https://www.youtube.com/watch?v=8v_4O44sfjM )

I know I can't take one more step  (Eu sei que não posso dar mais um passo)
Towards you                                  (Em direção a você)
Cause all that's waiting is regret    (Porque tudo o que me espera é arrependimento)
Don't you know                             (Você não sabe)
I'm not your ghost anymore?         (Que eu não sou mais o seu fantasma?)
You lost the love I loved the most (Você perdeu o amor que mais amei)

I learned to live, half alive                   (Aprendi a viver, meio viva)
And now you want me one more time (E agora você me quer de volta)

Talvez eu estivesse exagerando, eu com certeza estava exagerando ao sair daquele jeito do show, mas aquilo me tocou muito, e mesmo que não fosse o que eu estava imaginando, eu tinha me sentido sensível

And who do you think you are? (E quem você pensa que é?)
Runing 'round leaving scars       (Andando por ai deixando cicatrizes)
Collecting your jar of hearts      (Coletando seu jarro de corações)
And tearing love apart               (E despedaçando o amor)
You're gonna catch a cold          (Você vai pegar um resfriado)
From the ice inside your soul    (Do gelo da sua alma)
So don't come back for me        (Então não volte por mim)
Who do you think you are?       (Quem você pensa que é?)

Eu só queria afastar aqueles sentimentos de mim, e ficar perto do Andy vendo e ouvindo a voz dele não iria ajudar. Eu já estava me acostumando com a ideia de sermos amigos, então pq isso agora?

But I have grown too strong    (Mas eu fiquei tão forte)
To ever fall back in your arms (Para cair de novo nos seus braços)

Ok, (Seu Nome) foco. Pense, aquela música não tem nada a ver com você, foi só coisa da sua cabeça

Dear, it took so long just to feel alright (Querido, demorou tanto tempo só para me sentir bem)
Remember how to put back                   (Lembrar como pôr de volta)
The light in my eyes                              (O brilho nos meus olhos)
I wish I had missed                                (Gostaria de ter perdido)
The first time that we kissed                  (A primeira vez que nos beijamos)
Cause you broke all your promises        (Porque você quebrou todas as suas promessas)
And now you're back                              (E agora você está de volta)
You don't get to get me back                  (Você não vai conseguir me ter de volta)

Fui tirada dos meus pensamentos pelo motorista que me perguntou em qual rua ele deveria entrar. O ensinei o caminho e, alguns minutos depois, cheguei. Paguei a corrida, logicamente, e entrei em casa. Falei rápido com a minha tia e com Mandy, e fui a procura de Sophie, que dormia tranquilamente em seu quarto.
Sentei na poltrona ao lado do berço, jogando todo o meu peso naquele estofado, e fiquei olhando minha filha. Cada segundo que eu passava longe dela me fazia sentir uma enorme saudade, aquele pinguinho de gente era minha maior alegria, e eu fazia tudo o que fazia por causa dela. É certo que a minha vida tinha virado de cabeça para baixo nesses últimos meses, lidar com tudo o que eu estava lidando e ter que cuidar de um filho não eram as tarefas mais fáceis do mundo, eu nunca fui infantil, mas com certeza tive que amadurecer mais 20 anos depois de tudo isso, mas garanto que ao chegar em casa e ver minha filha, grande parte da minha tristeza ia embora, e meu esforço valia a pena. Ela era o meu motivo para tudo.
Os pensamentos sobre Andy ainda rondavam a minha cabeça. Como eu disse, já não me importava muito com o que tivemos no passado, mas eu ainda não estava totalmente imune. Ok, eu só precisava de um tempo para relaxar.
Fechei os olhos e respirei fundo, apenas escutando o doce silêncio que reinava naquele quarto. Fiquei um bom tempo apenas relaxando, até que resolvi levantar. Tomei um banho calmo, vesti uma roupa leve e voltei a sentar na poltrona. Vi os olhinhos de Sophie abrirem lentamente e logo depois ela começou a chorar. A peguei no colo e amamentei, depois a levei para cama e fiquei fazendo carinho na sua mãozinha. Algum tempo depois ouvi uma leve batida na porta, olhei e vi Andy

Você : Pode entrar - sorri de canto. Claro que ele tinha que vir aqui, né? Tudo já estava uma maravilha e ele ainda resolve aparecer. Essa criatura fica pulando e gritando que nem uma cabra o show todo, e não descansa depois?
Andy : Ela está dormindo? - entrou e sentou na ponta da cama
Você : Não, não, ela acordou a pouco tempo
Andy : Ah sim - ele sorriu - Oi Sophie, o Tio Andy chegou - disse a pegando no colo e Sophie sorriu - Ela me ama
Você : Oh, sem sombra de dúvidas - ri fraco
Andy : Claro que ama
Você : Continue apostando nisso, meu bem
Andy : Enfim, você saiu correndo do show. O que houve? A Jess me disse que você não estava bem e veio pra casa
Você : É, eu acho que a minha pressão caiu
Andy : Você correu, parecia assustada, eu quase parei o show pra saber o que era
Você : Não foi nada demais, eu juro, não precisava se preocupar. Se você fizesse isso eu iria ser linchada depois - ri e ele também
Andy : Mas agora está melhor?
Você : Estou sim, já passou - suspirei - Estou bem
Andy : Isso é bom - sorriu enquanto Sophie puxava seu cabelo, não preciso dizer que meus olhos estavam brilhando. Talvez eu devesse dizer logo que ele é o pai dela e pronto
Você : Andy eu ... e-eu quero te contar uma coisa - ta ok, lá vai
Andy : Sou todo ouvidos
Você : É que eu, eu - o celular dele tocou
Andy : Só um minuto - será que isso foi um sinal? Ele atendeu e percebi que era Juliet, senti vontade de vomitar na mesma hora - Não, eu estou na casa da (Seu Nome), ela passou mal depois do show e eu vim visita-la ...não, hoje não vai dar não ... ta bom, tchau - desligou e me olhou novamente - Então, onde paramos?
Você : Ah ... então é que eu recebi as primeiras informações das vendas do CD, e parece que estão lá em cima entre os 10 mais, está sendo um sucesso
Andy : Sério? - ele abriu um sorriso lindo, que me fez sorrir também - Cara, é tão bom ouvir isso
Você : Pois é, os meses quase morando na gravadora valeram a pena , depois eu te mostro os papeis com todos os dados direitinho
Andy : Ouviu só Sophie, o BVB está no top 10 - brincou com as mãozinhas da bebê enquanto sorria feliz - Mas então, o que você achou da música nova?
Você : A-a-a música? É ... bem legal, gostei
Andy : Apesar de nem ter escutado direito - rolou os olhos
Você : Ah, eu escutei o comecinho
Andy : Mas não ouviu toda, sua opinião não pode ser válida assim
Você : Ta ok, então depois eu olho no CD e te digo o que achei, certo?
Andy : Pra quê quando você tem o próprio compositor na sua frente? Eu vou cantar
Você : Não precisa não
Andy : Eu canto - ai Deus. Ele começou a cantar, me olhando intensamente como fizera no show, eu apenas desviava o olhar e tentava prestar atenção na letra. Pareceu uma eternidade, quando finalmente ele parou de cantar - E então?
Você : Confesso que seria melhor com o toque, só a sua voz é muito enfadonho
Andy : Para de ser ridícula - rimos
Você : Certo, então a minha opinião é a mesma, gostei bastante ... a letra parece bem intima, é sobre a Juliet?
Andy : Na verdade não - ele me olhou e ponderou o que ia falar - Não é sobre ninguém específico, só veio na minha mente
Você : Ah sim, bem criativa a sua mente - ri e suspirei aliviada - Falando em show, você veio direto pra cá e não tomou nem um banho?
Andy : É claro que tomei banho, eu sou um rapaz limpo
Você : Nem tanto, você não lava esse cabelo faz 1 semana - ele abriu a boca ofendido
Andy : Quanta difamação e calúnia, eu só não tive tempo
Você : Aham, sei ... então, quer jantar aqui? A gente pode fazer maratona de filme depois
Andy : Você apunhala e depois cura, não é? - me olhou sério e sorriu - Só ficarei por causa da comida
Você : E a minha companhia ilustre e irresistível não influencia? - arqueei a sobrancelha
Andy : Com certeza, nem um pouco, é só pela comida e pelos filmes
Você : Até acho - ri e levantei - Ta bem, vamos jantar?
Andy : Ok - levantou com cuidado, ele tinha maior medo de pegar Sophie no colo e fazer alguma besteira
Você : É engraçado ver você segurando um bebê, sua cara fica hilária - ri
Andy : Eles são muito pequenos, a qualquer hora acho que vai quebrar - sorriu rindo. Descemos as escadas e vi Mandy, Jess e minha tia vendo tv
Você : Não imaginei que você estivesse aqui, Jess
Jess : Eu disse que vinha, esqueceu?
Você : Mas nem foi no quarto saber se eu estava viva
Jess : Estava esperando você descer - me olhou sorrindo, eu sabia muito bem o que aquele sorrisinho queria dizer, obvio que queria que eu ficasse a sós com Andy. Apenas rolei os olhos
Você : Sei
Jess : Mas então, está se sentindo melhor? - me olhou e lançou um olhar fofo ao ver Andy paparicando Sophie
Você : Estou, está tudo bem - sorri - Então, vamos jantar? Estou morrendo de fome

~ Andy's POV

Mandy : Amém, também estou morrendo de fome, estávamos só esperando vocês - ela levantou extremamente rápido e praticamente voou para a cozinha. Rimos e levantamos para segui-la. Porém ela voltou ao escutar a campainha tocar
Bethany : Está esperando alguém, (Seu nome)?
(Seu Nome) : Não ... estranho - deu de ombros e atendeu a porta. Todos pararam e a olharam. Sua feição mudou totalmente, ela parecia extremamente ... feliz. Arqueei a sobrancelha ao ouvir uma voz masculina grave
Xxxxxx : Oi
(Seu Nome) : Oooi - ela sorriu lindamente dando espaço para um loiro oxigenado entrar
Xxxxxx : Estava com saudades - ele sorriu e ... mas que merda, ele beijou ela? Pq esse loiro de farmácia está beijando ela? Quem é esse cara? Quem ele acha que é pra vir aqui e beijar ela assim?



(Seu Nome) : Eu também estava com saudades - sorriu, e creio que nem as amigas dela estavam sabendo daquilo, pq estavam com a mesma cara confusa que a minha
Xxxxxx : Ah, são pra você - entregou-lhe um buquê flores brancas e azuis. Ah, qual é, o cara além de bonito e charmoso ainda é romântico? Tenho certeza que Mandy captou o momento em que rolei os olhos
(Seu Nome) : São lindas - pegou o buquê e inalou o perfume das rosas - Obrigada
Xxxxxx : Oi Jess, Mandy - sorriu para as meninas, que retribuíram o sorriso. Até o sorriso dele é bonito, se eu não tivesse tanta certeza que gosto de mulheres, estaria em duvida sobre a minha sexualidade naquele momento
Jess : Oi Thomas, a quanto tempo - sorriu - Que surpresa ... inesperada - então o nome dele é Thomas
Thomas : Realmente, faz tempo que não nos vemos - me olhou e ficou pensativo
(Seu Nome) : Ah, Thomas esse é o Andy. Andy esse é meu ... Thomas - meu Thomas? Como ela pode chamar ele de meu Thomas assim descaradamente? Ela pode ter desistido de falar a relação deles e ter dito só o nome, certo? Espero que sim
Thomas : Oi cara - apertou minha mão, e fiz o mesmo com a mão livre enquanto a outra segurava Sophie
Andy : Oi - talvez meu cumprimento tenha sido um pouco áspero, mas foda-se
Thomas : Oi Sophie - disse pegando a bebê no colo com dificuldade pq eu não queria deixar, ele me olhou confuso
(Seu Nome) : Então, nós estávamos indo jantar, quer ir conosco?
Thomas : Não, eu jantei a pouco tempo. Fico aqui com a Sophie enquanto vocês comem 
(Seu Nome) : Ta bom então. Você pode dar a mamadeira dela então, por favor?
Thomas : Claro
(Seu Nome) : Certo - ela saiu e pegou a mamadeira, voltando pouco tempo depois e o entregando. Sorriu e foi para a sala de jantar, junto comigo, Jess e Mandy. Encontramos Bethany já sentada
Bethany : Quem era, querida?
(Seu Nome) : Era o Thomas
Bethany : Ah sim. Nem me avisou, vou lá falar com ele - abriu um sorriso e foi até a sala. Ótimo, a tia dela também gosta dele
Jess : Ta oooook, agora conta tudoooo. Eu to passada
Mandy : Eu ainda estou em choque, não to nem conseguindo ficar em pé direito - sentou em uma das cadeiras
Jess : Você e Thomas estão se pegando? 
(Seu Nome) : Mais ou menos - ela parecia desconfortável falando sobre aquilo, tão desconfortável quanto eu ouvindo
Jess : Não existe essa de mais ou menos, se bem que não estou tão surpresa assim, ele sempre foi apaixonado por você - sempre? - Mas me conta, como aconteceu? Pq não falou nada pra gente?
Mandy : Já faz tempo?
Eu : É, já faz tempo? - foi a primeira coisa que saiu da minha boca, tenho certeza que nem passou pelo cérebro primeiro
(Seu Nome) : Ah ... faz mais ou menos 1 mês, mas nós estamos só nos conhecendo por enquanto
Jess : Uhum, conheceu bem a língua dele, ne - riu, e eu respirei fundo para aqueles pensamentos não tomarem conta de mim
(Seu Nome) : Para, Jess - olhou para baixo envergonhada
Mandy : Já rolou sexo? - não responda, por favor não responda
(Seu Nome) : Mandy, por favor - arregalou os olhos 
Mandy : Qual é, estamos entre amigos aqui, qual o problema?
Eu : Pois é, não tem problema, somos todos amigos aqui - eu tentava me convencer todos os dias de que éramos amigos. Talvez participar dessas conversas mais privadas ajudasse, e na verdade eu queria saber se eles já tinham ido tão longe
(Seu Nome) : Ai gente, não, não aconteceu nada demais ... ainda - sorriu pensativa
Jess : Mas já chegou perto?
Bethany : Então, vamos comer? 
(Seu Nome) : Sim, amém - suspirou aliviada e sentou a mesa, assim como todo o restante de nós. Comemos, conversamos, rimos e até acabei esquecendo que aquele indivíduo estava na sala com a minha Sophie
Jess : Querida, obrigada pelo jantar, estava maravilhoso, mas nós vamos indo
Eu : Sério? Mas já?
Thomas : Fiquem mais um pouco, vamos ficar conversando 
Mandy : Infelizmente não dá, temos umas coisas pra fazer
(Seu Nome) : Sério? - as olhou duvidosa - Nós vamos fazer maratona de filmes, não é, Andy? - com certeza vamos, não vou deixar você sozinha com esse cara
Eu : Sim, vamos sim, fiquem também - Jess olhou para mim e para Thomas com um olhar de "isso vai ser interessante"
Jess : Sinceramente, precisamos ir, seria ótimo - segurou o sorriso - Ficar, mas precisamos ir
Mandy : Pois é, estamos cheias de coisas pra fazer em casa
(Seu Nome) : Fazer o que se vocês nunca fazem nada? As empregadas que fazem tudo!
Mandy : Não seja ridícula, pare com essa ofensa, nós fazemos as coisas sim. Vamos embora Jess, não ficarei mais aqui depois dessas calúnias contra nós
Jess : Eu também não
(Seu Nome) : Grande desculpinha - rolou os olhos
Jess : Beijos para vocês, meninos
Thomas : Vão mesmo? - vão mesmo? mimimi 
Mandy : Sim, Thomas, mas se divirtam por nós - (Seu Nome) as olhou com um olhar fuzilante, elas apenas sorriram e foram embora. Até agora estou sem entender nada
(Seu Nome) : Ok, sobrou só nós 3, tia Bê já foi dormir. Você vai ficar pra assistir com a gente, Thomas? - ele estava totalmente desatento ao que ela dizia, sua atenção estava toda voltada para Sophie sonolenta em seu colo - Thomas
Thomas : Oi
(Seu Nome) : Você quer ficar pra assistir filme conosco? - não, diga que não, por favor. Ele me olhou
Thomas : Sim, quero, com certeza - fdp
(Seu Nome) : Ótimo, então eu só vou colocar essas flores em um jarro, e colocar a Sophie pra dormir, ok? 
Thomas : Tudo bem - apenas concordei com a cabeça. Ela pegou aquele buquê de flores ridículo e colocou em um jarro lindo, logo na entrada da sala, estampado, para quem quisesse ver 


(Seu Nome) : Pronto, me dá ela aqui - ele a entregou Sophie que já estava dormindo 
Thomas : Quer ajuda?
(Seu Nome) : Não, tudo bem, pode deixar, obrigada. Vocês podem ir pra sala de projeção, eu vou num instante
Eu : Ta bem - levantei, dei um beijo na testa de Sophie, e fui com embuste pra sala de projeção. Eu ainda iria demorar muito tempo para me acostumar com a grandiosidade daquele lugar


Sentei em uma das poltronas, ele fez o mesmo e o fiquei observando
Thomas : Tenho a impressão de que lhe conheço de algum lugar
Eu : Acho que você está enganado
Thomas : Pode ser - ele pensou mais um pouco - Aaah, você foi na lanchonete com seus amigos uma vez
Eu : Foi ... - acabei me lembrando, ele era chefe de (Seu Nome), quer dizer, ex chefe - Ah, você é o dono, lembrei
Thomas : Mais ou menos
Eu : Você não é muito novo pra já ter um negócio? - eu vou interrogar a vida dele toda, e saber o máximo que puder até (Seu Nome) chegar
Thomas : Na verdade meu pai é dono da rede, eu só gerencio - filhinho de papai
Eu : Ah, entendi. E você só gerencia aquela filial ou as outras
Thomas : Ajudo ele no que precisar, mas meu foco era aquela, quer dizer, é
Eu : Humm ... algum interesse especial? - tenho certeza que era por causa dela
Thomas : Eu só gosto de lá, nada demais - me olhou um pouco confuso - Você e (Seu Nome) agora são amigos?
Eu : Somos, somos sim
Thomas : Interessante, ela não tinha mencionado isso ainda - sou lerdo mas entendi essa indireta
Eu : Talvez ela tenha esquecido, de qualquer modo, agora já sabe - sei que ele também quer me investigar, mas não é tão cara de pau quanto eu
(Seu Nome) : Voltei, desculpa a demora, ela acordou e tive que por pra dormir de novo
Eu, Thomas : Tudo bem, sem problemas - me afastei para ela sentar na poltrona dupla comigo, mas ela passou direto e sentou com ele. Thomas passou seu braço esquerdo pelos ombros dela. Já posso matar esse cara ou preciso esperar mais um pouco?
(Seu Nome) : Então, vamos assistir qual filme? 
Thomas : Por mim pode ser qualquer um, que tal Batman? - pelo menos ele tem bom gosto, tem muito bom gosto, além de Batman gosta de (Seu Nome) 
Eu : Apoio 
(Seu Nome) : Ah não, por favor, Batman não, outro filme - disse ligando o telão - Comédia, não sei
Eu : Sei lá, se beber não case - entramos em um consenso e assistimos se beber não case. Eu não sabia se olhava para a tela ou para o "namorico" dos dois, eles não estavam se beijando, mas ficavam se olhando e se acariciando. Ele ficavam jogando charme, sorrindo e passando a mão pelos cabelos, coisa que deixava (Seu Nome) mais derretida ainda por ele.


Eu só queria quebrar a carinha bonitinha dele em mil pedacinhos, jogar gasolina e queimar. Ok, admito, eu estou com ciúmes, mas cara, eles estão praticamente coisando na minha frente. Talvez eu esteja exagerando um pouco, talvez muito. Concentra Andy, você e a (Seu Nome) são só amigos, ela pode namorar quem quiser, sem falar que você gosta da Juliet. Respira, respira e esquece isso. Assistimos 2 filmes, que nem prestei atenção direito, comemos pipoca e tudo mais. Depois levantei e os olhei

Eu : Então, eu já vou indo, está na minha hora
(Seu Nome) : Mas já?
Eu : Sim, é melhor ir, está ficando tarde
(Seu Nome) : Tudo bem então, eu te levo até a porta
Thomas : Tchau, cara - me deu um aperto de mão amigável, e retribui, estou disposto a gostar dele de agora em diante. Na verdade eu tenho que gostar dele, esse ódio gratuito não vai levar a nada, ele vai continuar tendo os beijos, carinhos e futuramente algo a mais de (Seu Nome) eu gostando ou não. Fui até a porta, ela me acompanhou calada
(Seu Nome) : Obrigada por vir, foi muito bom ter a sua companhia hoje - ela sorriu lindamente, me fazendo sorrir também
Eu : Não precisa agradecer
(Seu Nome) : Tem certeza que não quer ficar mais um pouco?
Eu : Sim, tenho, preciso ir pra casa descansar, sem falar que não quero atrapalhar você e o loiro oxigenado - ela prendeu o riso
(Seu Nome) : Se for por isso não precisa se preocupar, você não atrapalha, sabe disso
Eu : Mas eu realmente preciso ir descansar
Thomas : Onde fica o banheiro? Minhas mãos estão cheias de manteiga - ela riu 
(Seu Nome) : Pode ir no meu quarto, 4ª porta subindo as escadas
Thomas : Ok ... ah e a propósito, meu cabelo é naturalmente loiro - sorriu sendo seguido por (Seu Nome), e subiu as escadas. "Meu cabelo é naturalmente loiro, mimimi" exibido, assim fica difícil gostar dele
Eu : Eu já vou, tchau, e se cuida
(Seu Nome) : Se cuida você - sorriu fofa. Respirei fundo ao ver ele indo em direção ao quarto dela, beijei sua testa e me despedi. Ela fechou a porta, respirei fundo e caminhei até o carro. Nem liguei o som, apenas dirigi rumo a minha casa. Beijei a bochecha da minha mãe ao chegar, e falei com meu pai. Tomei um banho frio para expulsar de vez os pensamentos, deitei na cama e dormi. Quer dizer, tentei dormir

~ Andy's POV off 

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Posteeei, finalmente postei capitulo novo, peço desculpas por não ter postado antes, mas a minha vida está muito corrida ultimamente; e sim, eu sei que o capitulo não ficou muito bom, mas foi o que saiu, me esforcei e fiz o melhor que pude, mas se não gostarem entenderei.
Ah, um detalhe, só para vocês saberem mesmo. Todas as fotos e gifs que eu postar a respeito do Thomas serão do mesmo personagem, não sei se já deu pra perceber isso nesse capítulo. Acho melhor colocar assim pq, como ele tem uma feição própria se eu postar gifs ou fotos de outras pessoas vocês irão ficar confusas e vão acabar esquecendo como é o rosto do moço, então dessa forma vocês ficam familiarizadas com o rosto dele e associam. Não faço isso com o Andy pq todo mundo sabe como é o rosto dele, ne, então se eu usar um gif ou foto diferente para expressar algo vocês vão ter o rosto do Andy em mente, mas mesmo assim sempre tento postar fotos e gifs próprios do Andyzinho. Ficou confuso mas é isso kkkkk foi só para informar mesmo, e o rapaz o qual eu adotei a feição do Thomas é um ator, se alguém ficou curiosa em saber, seu nome é Dominic Sherwood 
Ps : Não irei responder os comentários, peço desculpas, mas é que já são 3hrs da manhã e estou caindo de sono. No próximo responderei 
Ah, outra coisa, preciso que vocês respondam por favor. A ideia do twitter não deu muito certo, até pq acho que algumas aqui não tem tt, então pensei em fazer um instagram para o imagine, eu só postaria lá alertas de que tem atualização no blog, o que acham? 

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Aviso !!!

Gente, queria pedir desculpas já faz 2 meses que não posto. Eu comecei outra faculdade em agosto e ultimamente não tive muita cabeça pra postar nada aqui, ta tudo muito corrido e desde a semana passada que estou fazendo prova. Minha ultima prova será na quarta feira, e depois desse dia prometo que postarei o outro capitulo, ele já está na metade, mas não tenho como postar antes de quarta. Desculpem novamente

domingo, 23 de julho de 2017

Rebel Love Song cap. 34

Fiquei paralisada, completamente em choque. Nem em meus mais profundos e terríveis sonhos eu esperava vê-lo ali. Boa, sonho. Eu só posso estar sonhando. Um sonho, tudo isso é um sonho, eu só preciso acordar. A voz da minha tia ecoando na minha cabeça me provou que não era um sonho.

Tia Bê : (Seu Nome), quem é?
Você : Ham ... é ... o Andy, um amigo - eu não sabia o que dizer, não estava raciocinando nem um pouco
Tia Bê : Ah sim - ela continuou sentada no sofá
Andy : Oi - ele olhava atônito para mim e para Sophie
Você : O que você tá fazendo aqui? - é eu sei, nada educado
Andy : Eu ... eu ia te convidar pra ir jantar na minha casa, mas não achei que seria legal fazer isso na frente da Lisa - ele parecia procurar as palavras confusamente - É ... é sua filha? - ok, a casa caiu, já era. Ou eu posso mentir, certo? Sempre há essa opção
Você : Filha? Puff - ri nervosamente - Não é minha filha - senti o olhar de minha tia sobre mim - Ela é minha irmã ... meus pais me deixaram com ela antes de viajar, então ... é isso - será que funcionou?
Andy : Ah sim, entendo - ele ainda me olhava confuso. Se aquela era a história mais mal contada do mundo? Sim! Mas contanto que ele acreditasse, eu faria dela a história verdadeira - Ela é muito linda - a olhou fixamente, e acariciou sua mãozinha. Ele parecia assustado e maravilhado ao mesmo tempo
Você : Então ... Sobre o jantar, eu adoraria ir - acabei tirando ele do transe, fazendo-o me olhar novamente
Andy : Claro, o jantar. Hoje a noite
Você : Ok
Andy : Ok - ele olhou Sophie mais uma vez, e saiu sem ao menos dizer tchau. Permaneci parada na porta, nem consegui fecha-la. Alguns segundos depois, minha tia a fechou para mim e me olhou
Tia Bê : Ele é bonito, só tem cara de quem não lava o cabelo
Você : É ... - posso dizer que eu não estava prestando atenção em nada do que a minha tia falava?
Tia Bê : ... Ele é o pai da Sophie, não é?
Você : O que?
Tia Bê : Bom, a julgar pelo fato que você disse que sua filha é sua irmã, e que não falou nada sobre meu comentário a respeito dele, que está totalmente pálida, e pela sua reação, eu diria que estou certa. Sem falar que o nome dele é o mesmo de um certo garoto por quem você estava apaixonada antes de voltar pro Brasil
Você : É, acho que sim - eu realmente não sabia de nada, eu não tinha a mínima ideia de nada, acredito que meu cérebro ainda estava congelado pelo choque

~Andy's POV

Persuadi Lisa a me dar o endereço da casa da (Seu Nome). Ah, eu queria convida-la pra jantar na minha casa, minha mãe tinha insistido tanto para que eu chamasse que não quis fazer isso por telefone. Segui fielmente as instruções da assistente e parei em frente a uma casa enorme. Não estou mentindo, a casa era realmente enorme.

 (parte da frente)

 (obviamente a parte de trás)

Ela morava sozinha ali? Tinha um lindo jardim, com uma "estrada" que guiava para a entrada da casa, e outra estrada guiava para dentro do próprio jardim; Aquele local me fazia lembrar do dia em que levei (Seu Nome) para jantar no meu restaurante favorito. Me distrai um pouco dos detalhes e foquei no meu objetivo principal. Toquei a campainha e rapidamente a porta se abriu.
(Seu Nome) tinha um sorriso lindo no rosto, mas ao me ver ele se esvaiu completamente. Notei que ela segurava um bebê em seus braços. Eu realmente não sabia o que pensar, "será que era filha dela?" foi a primeira coisa que eu me perguntava.

Eu : Oi - tenho que admitir que não consegui tirar os olhos daquele bebê
(Seu Nome) : O que você ta fazendo aqui? - ela parecia igualmente assustada
Eu : Eu ... - eu nem lembrava mais o que estava fazendo ali - Eu ia te convidar pra ir jantar na minha casa ... mas não achei que seria legal fazer isso na frente da Lisa. É ... é sua filha? - acabei não me controlando, e perguntei o que ocupava a minha mente desde o momento em que vi a criança
(Seu Nome) : Filha? Puff. Não é minha filha. Ela é minha irmã, meus pais me deixaram com ela antes de viajar, então é isso - irmã? Eu nunca soube que a mãe dela estava grávida ... bem, deve ter sido mais uma das coisas que eu perdi
Eu : Ah sim, entendo. Ela é muito linda - minha mão foi instintivamente ao encontro da mão daquele serzinho. Não sei por qual motivo, mas uma sensação estranha me fazia querer segura-la nos braços. Eu nem imaginava que pudesse existir algo tão pequeno como aquela mãozinha, e nem tão delicado como aquela linda menina. Deslizei um pouco a mão e senti o seu coraçãozinho bater, e instantaneamente uma sensação maravilhosa e ao mesmo tempo assustadora apoderou-se de mim. Estranhamente, eu só queria estar lá pra ela, estar sempre pronto para pega-la quando ela caísse, e garantir que nada nunca a machucaria, nem um braço quebrado, nem um pesadelo, e nem um coração partido. Eu nunca tinha sentido isso ao chegar perto de uma criança. Tá ok, posso realmente afirmar que não estou no meu normal, pois aquilo era completamente sem sentido
(Seu Nome) : Então. Sobre o jantar, eu adoraria ir
Eu : Claro, o jantar. Hoje a noite
(Seu Nome) : Ok
Eu : Ok - olhei mais um vez sua irmã, e saí sem nem ao menos dar um tchau. Eu com certeza estava completamente fora de mim, todos aqueles sentimentos não condiziam comigo, e nem com a situação. Andei rapidamente até o carro, e dei partida. O que estava acontecendo comigo? Eu só posso estar fora de mim, não há outra explicação pra esse sentimento estranho ter me invadido.
Voltei para casa, falei brevemente com a minha mãe e fui pro meu quarto. Passei o restante do dia cercado por aqueles pensamentos.

~Andy's POV off

Tia Bê : É, acho que estou certa ... querida, você não parece bem - me olhou preocupada - Você está pálida
Você : É
Tia Bê : Mds, é melhor você sentar - disse pegando Sophie no colo e me ajudando a sentar no sofá
Você : Eu ... eu só fui pega de surpresa, é isso - meu coração agora voltava a bater em um ritmo normal
Tia Bê : Meu amor, pq você mentiu? Ele já viu a Sophie, sabe que ela existe, não precisava ter mentido
Você : Eu tive medo
Tia Bê : Medo de quê?
Você : De contar e ele ficar com raiva, e não querer ela - respirei fundo
Tia Bê : Você mesma disse que ele tinha mudado e se arrependido. Pq não iria querê-la?
Você : Ele ter se arrependido é uma coisa, querer uma filha é outra totalmente diferente
Tia Bê : Você poderia pelo menos tentar. Pq ele não iria querer um presente desses? - sorriu pra minha pequena
Você : Ele com certeza iria ficar enraivecido. Também o Andy ainda é muito jovem, tem uma carreira toda pela frente, e uma criança pode estragar isso
Tia Bê : Você também é muito jovem, não estava preparada pra isso, e enfrentou todas as consequências de ter um filho. No final não foi maravilhoso? Não é a melhor sensação do mundo tê-la?
Você : Sim, é verdade - me emocionei ao olha-la
Tia Bê : Não acha que ele merece sentir isso também?
Você : Eu preciso tomar um banho - ela suspirou, e eu levantei
Tia Bê : Okay - fui para o meu quarto. Talvez um banho me fizesse relaxar um pouco e pensar em tudo isso. Tomei meu banho, vesti uma roupa leve, e sentei na cama enquanto penteava meus cabelos. Minha tia estava certa, totalmente certa, eu não poderia esconder uma coisa tão importante assim do Andy. Eu tinha medo, muito medo de fazer aquilo, porém era preciso.
Me deitei e acabei dormindo o restante da tarde. Acordei de 6:24pm, e praticamente pulei da cama, eu estava mais do que atrasada, estava extremamente atrasada. Vi um bilhete que minha tia deixara ao lado da cama, informando que tinha saído para passear Sophie. Tomei o banho mais rápido da minha vida, e coloquei um vestido simples, porém bonito.



Desci as escadas rapidamente, tomando cuidado para não levar um tombo por causa do salto. Maria me parou no meio do caminho me perguntando o que preparar para o jantar, já que minha tia tinha saído e não tinha deixado nenhuma instrução. Disse que preparasse qualquer coisa simples, e me despedi. Fui a adega, e peguei um vinho. Me desloquei até a garagem, entrei em minha Lamborghini, e dirigi até a casa do Andy o mais depressa possível. Cheguei e ele estava sentado no chão em frente a porta, como se estivesse me esperando a algum tempo. Desliguei o carro, respirei fundo, e sai, indo em direção a Andy, que sorriu fofo.

Andy : Wow, você está linda
Você : Obrigada - devolvi o sorriso
Andy : Então, vamos entrar? Meus pais já estão esperando - pq isso me deixava nervosa? Saber que os pais dele me esperavam, e estariam dando um jantar pra mim, me deixava com as mãos suadas e o coração palpitando. Pura besteira minha, eu sei
Você : Claro - o acompanhei e assim que entrei, sua mãe veio me abraçar
Amy : Olá, querida. Que bom que você veio
Você : Claro que vim - sorri - Me desculpem a demora, eu acabei dormindo e perdi a hora
Xxxxx : Tudo bem, ainda está cedo, e você não está atrasada - um homem com tatuagens dirigiu-se a mim e sorriu - Ah, prazer, sou Chris, pai do Andy
Você : É um prazer, Senhor - sorri - Ah, eu trouxe um vinho, não sei se vocês bebem, mas
Amy : É muita gentileza sua, querida, mas não precisava se incomodar
Você : Não foi incomodo nenhum, não se preocupe - disse e entrei ao Chris
Andy : Então, podemos comer? Estou faminto
Amy : Quando você não está? - ela riu, sendo seguida por Chris - Ok, vou colocar a mesa
Você : Quer ajuda?
Amy : Não precisa se incomodar
Você : Eu faço questão - ela sorriu
Amy : Tudo bem então - ela foi até a cozinha, e eu a segui. A ajudei a por a mesa, e em poucos minutos nos sentamos. A comida parecia estar deliciosa, a julgar pelo cheiro
Andy : Finalmente
Chris : Não vamos esperar a Juliet? - o quê?
Andy : Ham ... não, ela não vem - ainda bem
Chris : Ah, é uma pena - Amy fez um olhar como se estivesse agradecendo a Deus por ela tão ter ido, e Chris parecia um pouco chateado. Posso dizer que estou amando a mãe do Andy, e não me identifiquei muito com o pai dele? Amy era a única pessoa sensata naquela casa
Amy : Pois é, que pena - disse em tom irônico. Ela nos serviu, começamos a comer, e sim, a comida estava deliciosa
Você : A comida está maravilhosa, Sr. Biersack
Amy : Já disse pra me chamar de Amy, e obrigada - sorriu gentil
Você : Ah e, obriga por me convidar, foi muito gentil da parte de vocês
Chris : Sem problemas, é um prazer recebê-la
Amy : Deveria ter trago os seus pais também, iríamos adorar conhece-los - uma dor enorme invadiu o meu paito
Andy : Er ... mãe - fez sinal negativo para a mãe, que ficou sem entender
Você : Infelizmente, não será possível ... meus ... meus pais faleceram, a 1 mês e meio - respirei fundo
Amy : Ah meu deus, me desculpe querida, eu não fazia ideia, perdoe-me
Você : Ta tudo bem, não se preocupe
Amy : Sinto muito - segurou minha mão, me olhando triste e compreensiva
Chris : Sentimos muito pela sua perda - olhou desapontado
Amy : Mas você está sozinha agora?
Você : Não eu tenho a minha tia, e a minha ... irmã. E duas amigas que são como irmãs - sorri de canto
Andy : Ah mãe, a irmã da (Seu Nome) é super fofa. Ah eu sai e nem perguntei, qual o nome dela?
Você : Sophie
Amy : É mesmo? E qual a idade?
Você : Ela tem 2 meses
Andy : É a coisa mais fofa do mundo - seus olhos brilhavam enquanto ele falava
Amy : Deveria ter trazido ela.
Você : A minha tia saiu com ela antes que eu viesse. Você pensa em ter filhos? - olhei para Andy, e só depois percebi que não deveria ter perguntado
Andy : Er ...
Chris : Não, não mesmo. Pelo menos não agora, só em um futuro bem distante - riu
Amy : Eu adoraria ter um neto, ia ser maravilhoso
Andy : Não mesmo, mãe - eu já tinha a resposta de todas as minhas perguntas
Você : Verdade - sorri de canto - É muito cedo para se pensar nisso
Chris : Então, (Seu Nome), eu vi o seu carro lá fora, e nossa, é maravilhoso
Andy : Meu pai é louco por carros desportivos
Você : Eu também adoro - sorri - Se quiser pode dar um volta nele depois
Chris : Sério?
Você : Sim
Chris : Eu adoraria
Amy : Homens - rolou os olhos e riu, sendo seguida por mim. Não sei pq eu ainda sentia um desapontamento, se já esperava por aquela resposta. Jantamos, conversamos, depois Chris deu uma volta no meu carro, e insistiu para Amy ir junto
Chris : Voltamos logo
Você : Não se preocupe, não tenho pressa - ele sorriu dando partida
Andy : Obrigado por ter vindo, foi ótimo ter você aqui - ele sorriu enquanto sentávamos na grama do jardim de sua casa
Você : Por nada, obrigada por me convidarem. Eu adorei tudo - sorri com o canto dos lábios
Andy : Então, nós vamos gravar o vídeo amanhã. Não quer ir assistir?
Você : Eu tenho um compromisso amanhã - na verdade não tenho compromissos, mas ele não vai saber se é verdade ou não
Andy : Ah sim
Você : Mas quem sabe eu possa ir no show e ouvir você cantar, e eu posso ver o vídeo na internet depois
Andy : Verdade. Mas eu não vou poder fazer shows por um longo tempo, depois dessas costelas quebradas - fez biquinho
Você : Quem mandou ser idiota? - ri imaginando a cena dele caindo, eu me senti mal por rir, mas não dava pra controlar, fiquei mal e tive crise de riso ao mesmo tempo
Andy : Eu não sou idiota, por favor
Você : Só um pouco, tava achando que era o Superman pra sair voando? Será que tem vídeo disso na internet? Eu ia adorar ver
Andy : Meu amor, eu sou o Batman. Deve ter, espero que não tenha, mas acho que tem
Você : Tá explicado, por isso que caiu, você não voa. Tenho que olhar urgentemente o youtube - ri balançando a cabeça e olhei pro chão - Então, pq a Juliet não veio?
Andy : Eu não chamei ela
Você : Seu pai pareceu desapontado com isso - o olhei
Andy : É, ele gosta bastante dela, já a minha mãe ... digamos que ela preferia que eu estivesse solteiro - eu também
Você : Você gosta dela?
Andy : Claro que gosto, ela é minha namorada - me olhou confuso
Você : Isso eu sei, idiota - rolei os olhos - Eu me referi a amor, se você a ama - ele me olhou um pouco triste e desviou o olhar
Andy : Acho que é muito cedo pra isso, ainda estamos nos conhecendo ... mas quem sabe um dia. Estou trabalhando nisso - sorriu. Pois é (Seu Nome), ele estava seguindo em frente, eu deveria fazer o mesmo
Você : É, o tempo faz tudo - suspirei e voltei a olhar pro chão. Escutei o barulho do carro e logo depois Amy e Chris já estavam de volta
Amy : Meu deus, nunca mais entregue essas chaves pra ele - ela desceu do carro extremamente assustada. Andy e eu rimos
Chris : Eu nem corri - disse me entregando as chaves. Depois de um tempo me despedi deles e fui pra casa.

Me preparei para dormir e deitei. Porém minha cabeça estava cheia demais para simplesmente relaxar e dormir. Ele não queria filhos, e gostava de Juliet. Eu já tinha todas as respostas para as minhas perguntas

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Termineeeei. Eu demorei mais um pouco para postar esse cap. pq não tinha ideia do que escrever, por isso ficou tão pequeno. Mas é melhor postar um pequeno do que não postar nada, ne. Enfim, espero que gostem.
Sim, eu mudei a casa pq a outra não era uma foto com visão muito boa, essa dá pra ver tudo, e achei essa mais bonita. Como eu disse, vou mostrando o interior da casa com o desenrolar da história, mas as fotos internas não serão da mesma casa pq eu não achei fotos dela, e também estou escolhendo de acordo com meu gosto pessoal, por isso as vezes algumas coisas internas não vão condizer com a estrutura externa, mas vamos fingir que tudo se encaixa; 
Ps: Se as fotos estiverem muito pequenas, basta clicar nelas que irão aparecer em tamanho mais visível
Gente, também estou trabalhando no design do blog, então se na hora que vocês entrarem tiver algo feio, torto e estiver com uma cara diferente, não se assustem, estou fazendo umas melhoras pra ficar mais bonito visualmente

Resposta dos Comentários : 

Maira May : Viu mas não sabe que é filha dele kkkkkk a reação dele foi essa, não sei se ficou boa, mas ne. Beijos

LoliPoop : Mds kkkkkk eu não gosto de bolo, na verdade não gosto muito de coisas doces, então acho que recusaria também kkkk. Mas ela foi jantar na casa deles, então agora estão kits. Mdddds aconteceu a mesma coisa comigo, eu também não conhecia a banda quando houve esse acidente, ai depois fiquei sabendo disso e vi os videos, e chorei de tanto rir. Não estou me sentindo mal agora, pq achei que só eu tinha dado risada disso kkkk. Eu também, não tenho dinheiro ai fico só desejando mesmo kkk é a vida.
Não, o pau nem comeu, essa história ainda vai dar muita confusão mas não agora kkk. Entendo totalmente o que você passa, eu também só tenho criatividade quando não estou no pc, e já tenho mais capitulos prontos pra outras 2 fics, mas pra essa de agora não aparece criatividade.

MissN : Siiiiim, ele finalmente viu a Sophie, porém ainda não sabe que é filha dele, ainda .... Ah, eu entendo a Lisa, é normal, quem não se derreteria perto do Andy? Super normal, não seria normal seria se ela não se sentisse afetada pela beleza dele

Charlotte Biersack : Charlotteeee, eu lembro de você sim, você comentava sempre aqui. Que bom te ver de novo, e saber que você ainda lê a fic. Me desculpa por fazer vocês esperarem tanto, e ter que ler a LIA varias vezes kkkk. Eu fiz a mesma coisa que vocês duas, eu ri pra cacete quando vi ele caindo, depois fiquei preocupada e depois ri de novo kkkk o Andy é muito babaca, pqp, só pq as pernas dele são grandes também não quer dizer que ele ia alcançar o outro lado, ne kkkk ri demais daquilo. Fiquei me sentindo mal pq achei que só eu tinha rido, mas ainda bem que não foi só eu kkkk. Você deu uma enrolada nele, ainda vai demorar pra ele descobrir que a Sophie é filha dele, ou não ... não sei

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Rebel Love Song cap. 33

Existem aqueles dias da vida em que você simplesmente deixa todas as desavenças de lado, e só quer seguir em frente e tentar ser o mais feliz possível. Acho que hoje foi um desses dias. Ashley parecia sincero no seu pedido de desculpa, e o Andy, bem, o Andy me magoou, mas eu não queria que a ultima lembrança que eu tivesse dele fosse uma lembrança dolorosa, então eu puramente deixei ir. Talvez hoje fosse realmente o dia do perdão.

Tia Bê : Você parece feliz - me olhou enquanto dava uma garfada na sua macarronada - É bom te ver assim
Você : Digamos que ... eu estou me livrando de alguns fantasmas do passado, to tentando seguir em frente - a olhei 
Tia Bê : Que bom que isso está acontecendo. É doloroso ver você sofrer. Por mais que você tente disfarçar isso, eu te conheço 
Você : Eu tenho que ser forte pra alguém, principalmente pra Sophie. E também não quero que você carregue todo esse peso sozinha 
Tia Bê : Tenho muito orgulho de você. Seus pais também tem, aonde quer que estejam - ela sorriu sincera e triste, apenas assenti calada - Eu sei que isso não é da minha conta, e eu não quero me intrometer na sua vida de jeito nenhum, meu amor, mas já pensou em contar pro pai da Sophie?
Você : Eu acho que as coisas estão indo muito bem agora pra estragar isso
Tia Bê : Você acha que descobrir ter um filho estragaria a vida de alguém? 
Você : Depende do ponto de vista - terminei de jantar e deixei a louça na pia, peguei Sophie e subi para o meu quarto, onde uma cama quentinha me esperava, me deitei nela junto com Sophie - Você acha que eu devo ou não contar pro seu pai? Sei lá, acho que seria muita coisa pra assimilar, não acha? - ela me olhava de um jeito fofo e confuso - É, também acho que é melhor não contar - e foi nessa de ficar "conversando" com Sophie que eu dormi

Acordei no outro dia com ela chorando, provavelmente estava com fome. Amamentei. Depois dei banho nela, a arrumei, e fiz o mesmo comigo, só então desci e encontrei minha Tia dormindo no sofá. Fui para a cozinha, e Maria, nossa empregada, estava terminando de ajeitar a mesa do café. Como sempre ela fazia muita coisa, o que era um exagero, já que só tinham duas pessoas morando naquela casa. 
Passei a manhã toda na piscina com a Sophie, era lindo o jeito que ela ria enquanto eu jogava água em seu rostinho. No meio da tarde recebi uma ligação de um numero desconhecido. Atendi e era o Andy, perguntando se de 5pm estava bom para irmos tomar um café. Eu acabei recusando, não pq eu quisesse, mas tinha esquecido que as meninas iriam pra minha casa naquela noite, então disse que iria qualquer outro dia, menos aquele. Ele compreendeu, e me falou que no dia seguinte iria fazer um show, mas que no outro dia iríamos. Concordei e ele desligou.
As meninas foram para minha casa, encheram muito o meu saco, dormiram lá e no outro dia foram embora. Admito que tinha muita saudade de morar com elas, principalmente nesses ultimos dias em que eu me sentia sozinha.
No dia em que Andy estaria disponível ele me ligou, e como prometido, marcamos de nos encontrar. Ele insistiu para ir na minha casa, mas eu recusei gentilmente. Não poderia deixar que ele visse a Sophie em hipótese alguma. Então combinamos de nos encontrar na cafeteria mesmo. Quando deu o horário, tomei banho e vesti uma roupa simples, calça jeans e suéter, como estava fazendo um pouco de frio peguei um sobretudo. Pedi para que minha tia olhasse minha bebê enquanto eu ia encontrar um amigo, e me despedi delas.



Cheguei exatamente de 5pm, mas achei que estava atrasada pelo fato de Andy já estar me esperando na porta. Ele estava lindo como sempre, mas algo estava diferente, seu rosto estava cheio de marcas roxas e alguns cortes.

Você : Mds, o que aconteceu com você? Caiu do palco? - falei em tom irônico, tentando amenizar o susto que tomei
Andy : Na verdade, sim - eu não esperava que ele realmente tivesse caído do palco
Você : Eu não achei que - ele me interrompeu
Andy : Tudo bem
Você : E você não foi no hospital, sei lá? - ok, agora eu estava ficando preocupada
Andy : Eu fui depois que terminei de fazer o show. O médico me disse que eu tinha quebrado 3 costelas - disse levantando a camisa, deixando a mostra seu tórax enfaixado - Fora isso, nada demais - posso dizer que por dentro eu entrei em pânico?
Você : E como foi isso? 
Andy : Eu meio que fui tentar pular de uma plataforma pra outra, e acabei não alcançando, bati com a costela e depois com a cara no chão. Acho que eram uns 3m de altura mais ou menos
Você : Você é louco? Podia ter morrido
Andy : Não é pra tanto
Você : Se caísse de um jeito pior, poderia sim - o que esse imbecil estava pensando?
Andy : Mas agora está tudo bem
Você : Bem? Você nem consegue ficar em pé e nem falar direito - o olhei com uma mistura de pena e raiva - E ainda veio pra cá?
Andy : Eu não podia perder nosso encontro - ele sorriu fofo, e falou com calma, como se aquele ato doesse. E apesar de achar aquilo fofo, eu estava preocupada
Você : Eu teria entendido se você dissesse que não podia
Andy : Tá tudo bem, sério - entramos e eu o ajudei a sentar, fizemos o pedido e ficou um clima estranho de silencio 
Você : Sua namorada não ficou chateada por você sair comigo?
Andy : Não me importo com o que ela diz
Você : Ela não gosta muito de mim
Andy : Ela tem mania de pensar demais as vezes - me olhou e sorriu de canto - Mas então, parece que muita coisa mudou na sua vida, não é?
Você : Pois é, fui de garçonete à dona de gravadora ... isso não te surpreende? - ta ok, admito que falei em tom irônico, e um pouco ofensivo. Lembro me bem que eu era tratada de acordo com a minha classe social, e ele que mesmo já fez isso
Andy : É, me surpreendeu um pouco quando você entrou naquela sala de reuniões. Eu sinceramente não esperava por aquilo - nossos pedidos chegaram
Você : Eu também não esperava por nada disso, e não falo só do dinheiro. Aconteceram tantas coisas, quer dizer eu tenho uma fi - acabei me empolgando um pouco - uma figura, isso eu agora sou uma figura de negócios, e isso é estranho - será que ele percebeu?
Andy : Com o tempo você se acostuma, no começo tudo é mais difícil - acho que não
Você : É assim espero - suspirei aliviada. Conversamos, comemos e bebemos, como dois amigos que a tempos não se viam, o que foi uma surpresa pra mim. Tudo ainda fluía tão bem entre nós, como se nunca tivéssemos deixado de nos falar, era uma conexão que não precisava de toques, nos entendíamos apenas com um olhar. Todas essas características caminham para um romance, mas nós podemos fazer disso uma amizade. Não podemos?
Andy : Obrigado pela tarde, foi realmente muito bom poder conversar com você - ele sorriu agradecidamente
Você : Por nada, foi um prazer - estendi a mão, mas ele a puxou e me abraçou, um abraço aconchegante. Tomei cuidado para não machuca-lo, e pouco tempo depois, desfizemos o abraço - Você veio de carro?
Andy : Não, vim de taxi
Você : Posso te deixar em casa então
Andy : Ah, não precisa se preocupar
Você : Não é incomodo, e eu não vou te deixar sozinho aqui nesse estado - ele pensou por um instante e acabou concordando. Fomos até o meu carro, e eu o ajudei a entrar
Andy : Já disse que adoro seu carro?
Você : Acho que sim - ri e dei partida - Então, onde você mora?
Andy : Pode seguir em frente - ele me ensinou o caminho, e fomos conversando. Cheguei em uma casa linda, na qual uma mulher ruiva esperava em frente a porta (gente, até hoje não sei se a Amy é loira ou ruiva, creio que seja ruiva, pelo menos nas fotos parece ser)
Você : É essa?
Andy : Sim, e parece que um vou escutar poucas e boas - ele riu, e eu sai do carro, depois o ajudei a sair e a mulher veio em nossa direção
xxx : Andrew Dennis Biersack, o que você tem nessa sua cabeça? Você precisa repousar, e ainda sai escondido? - ela parecia furiosa, e com razão - Ah, me desculpe querida, que falta de educação a minha, tudo bem?
Você : Tudo sim
Andy : Mãe, essa é a (Seu Nome), (Seu Nome) essa é minha mãe
xxx : Ah, é um prazer conhece-la, o Andy falou mui - ele a interrompeu
Andy : Ela é uma amiga
xxx : Ah sim ... amiga. Sou Amy, obrigada por traze-lo de volta - ela me abraçou, como se eu tivesse salvado a vida do filho dela e fosse eternamente agradecida - E você, Dennis, nunca mais faça isso comigo
Andy : Mds, eu só dei uma saída, nem peguei o carro
Amy : Eu não quero saber, olha que eu amarro você na cama se for preciso 
Andy : Mãae - ele a olhou como se dissesse "você está me envergonhando"
Você : Bom, agora que você está entregue, eu vou indo
Amy : Não, fique mais um pouco, eu acabei de fazer um bolo
Andy : Nós acabamos de comer, mãe
Você : Quem sabe outro dia, Sra. Biersack
Amy : Ah por favor, me chame de Amy
Você : Ok, Amy, outro dia eu prometo que ficarei
Amy : Vou cobrar
Você : Tudo bem - sorri e me despedi deles. Andy me olhou como se estivesse triste por eu estar indo. Entrei no meu carro novamente, e voltei pra casa, encontrando minha tia sentada no sofá, enquanto Mandy e Jess paparicavam Sophie
Tia Bê : Oi querida, como foi o passeio?
Você : Foi bom
Jess : Finalmente ela chegou - disse como se tivesse me esperado o dia inteiro
Você : Achei que vocês já tivessem vindo aqui, ou estou tendo um déjà vu?
Jess : Nossa, obrigada pela parte que nos toca
Mandy : A gente vem aqui, fazer companhia pra ela, saber como está e é isso que recebemos
Jess : Já deu pra mim, vamos embora Mandy - se levantou seguida por Mandy e foram em direção a porta
Você : Ta bem, mas deixem a minha filha
Jess : Ela não merece uma mãe como você - revirei os olhos
Você : Parem de drama, por favor
Mandy : A gente já está te esperando há anos
Você : Eu só fiquei fora por 2 horas
Jess : Pareceu ser bem mais
Tia Bê : Eu vou tomar um banho enquanto vocês discutem - em rápidos segundos ela já tinha subido a escada e entrado no seu quarto
Você : Alguém já disse que vocês seriam ótimas atrizes de drama? - joguei minha bolsa no sofá, e em seguida me joguei no mesmo
Jess : É eu sei, Hollywood não sabe o que está perdendo - disse me entregando Sophie
Mandy : Então, aonde você foi?
Você : Encontrar um amigo
Jess : Você não tem amigos além do Chad
Mandy : Ai
Você : Claro que tenho
Jess : Não tem não, amor
Você : É um novo amigo
Jess : Novo amigo, é? Qual o nome? - me olhou duvidosa
Você : Ha ... é um amigo novo, gente, nada demais - sorri sem graça
Mandy : Você tá saindo com o Andy? - como ela sabe?
Você : Quem te disse isso?
Mandy : Sei lá eu pensei nele. Espera, você saiu com ele, não é?
Você : Foi - dei de ombros
Jess : What? Wait what? - ela parecia estar ouvindo a coisa mais absurda do universo
Você : Eu sai com o Andy, conversamos, tomamos café, e só - fiz carinho na Sophie que estava quase dormindo
Jess : Nanananão, mocinha, explique essa história direito
Você : Não tem história nenhuma, gente. Eu disse que podíamos ser amigos, sem ressentimentos, ele me convidou pra tomar um café e eu aceitei, nada demais
Mandy : Mas gente, tô chocada ... quer dizer, nem tanto, talvez um pouco, eu não sei o que pensar
Jess : Me bate - Mandy não esperou uma segunda oportunidade, e deu bateu na cabeça de Jess - Não era pra ser com força, imbecil
Mandy : Devia ter dito antes - sorriu satisfeita
Você : Calem a boca, vai começar The Mentalist - me concentrei em olhar a tv
Jess : Nada disso, não tente mudar de assunto
Você : Jane é o melhor ser humano desse universo
Jess : (Seu Nome)  não adianta, explica isso direito
Você : Já disse que não tem o que explicar
Jess : Pq tudo isso agora?
Você : Pq sei lá, não quero ter raiva dele a minha vida toda, quero deixar aquela história no passado. Não sei pq vocês estão achando ruim, ficaram até com peninha dele
Mandy : Mas era de cortar o coração. A questão é que ficamos surpresas, só isso, mas acho que é uma boa atitude a sua
Jess : Daqui a uns dias estão se pegando de novo
Você : Eu não contaria com isso, linda. Podemos encerrar o assunto? - voltei a olhar pra tv
Jess : Gente, tô passada - colocou a mão na cabeça, e depois de muita falação, elas acabaram mudando de assunto, jantaram na minha casa e foram embora.

21 de Setembro de 2011, 9:23am - Lava Records

Lisa : Você parece exausta
Você : Sophie acordou varias vezes de madrugada, eu praticamente não dormi - disse tomando mais um gole de café tentando espantar o sono
Lisa : Se quiser pode ir pra casa, eu termino por aqui
Você : Não, tudo bem, eu aguento
Lisa : Ta ok, mas a hora que quiser pode ir
Você : Pode deixar - sorri de canto e voltei a olhar umas letras de musicas de uma nova cantora. Não demorou tanto e alguém bateu na porta. Olhei para Lisa
Lisa : Pode entrar - a porta revelou um Andy feliz e ao mesmo tempo receoso
Você : Oi - sorri ao vê-lo
Andy : Oi - ele sorriu fofamente - Então, eu queria falar com você sobre o vídeo de uma musica nova que eu compus - olhei para Lisa sem entender
Lisa : A gravadora também cuida dessa parte, nós produzimos, distribuímos e promovemos gravações multimídias
Você : Então você quer ... que eu faça um "investimento" no seu vídeo?
Andy : Basicamente - ele disse pensativo
Você : Tudo bem. Lisa vai cuidar de tudo, não se preocupe
Andy : É que eu queria fazer isso o mais rápido possível
Você : Não foi você quem caiu do palco e quase morreu há 3 dias atrás? - eu falava enquanto ainda olhava as letras das músicas - Você nem deveria estar aqui - ouvi uma leve risada
Andy : Você é igual a minha mãe
Você : Não sou não, eu teria te matado naquele dia, ela foi boa - o olhei e sorri - Ok, Lisa, pode agilizar isso, por favor?
Lisa : Claro
Você : Problema resolvido
Andy : Obrigado
Você : Por nada - ele se virou para sair, e voltou, como se quisesse falar algo, mas acabou desistindo
Andy : Tchau - disse saindo e fechando a porta, vi Lisa sorrindo
Você : Está sorrindo pq? - a olhei confusa
Lisa : Nada ... é que - ela protelou - Eu acho ele um gato
Você : Só quando está sem maquiagem - ri balançando a cabeça e ela também
Lisa : A voz dele é tão ... profunda - eu só ri, era engraçado ouvi-la falando aquilo
Você : Vamos voltar ao trabalho

Ok, admito que eu não aguentei o sono, e a preguiça acabou me vencendo. Fui para casa mais cedo que o normal, e as 3pm eu estava abrindo a porta. Corri para abraçar minha Sophie que estava no colo da minha tia, e a enchi de beijos. Ouvi a campainha tocar e atendi a porta. Meu sorriso se desmanchou na mesma hora. Andy estava parado a minha frente com os olhos vidrados em Sophie.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
  
Fiiiiim, pq eu quis fazer maldade. Não demorei a postar dessa vez como podem ver. 
Gente, tenho que falar que fiquei muito feliz quando vi os comentários de vocês, foram apenas 3, mas me fizeram muito feliz pelo fato de saber que ainda tenho leitoras fieis que esperaram esse tempo todo por uma continuação. Confesso que foi melhor do que 20 comentários se fossem de uma postagem constante. Muito obrigada pelo carinho. Um abraço a todas

Resposta dos Comentários :

LoliPoop : Já tinha respondido seu comentário, mas tenho que responder aqui de novo. Fiquei muito feliz em te ver, sério mesmo. Muita obrigada pelo apoio, sua linda, não deixarei de escrever o imagine. Me mande o link da sua fic, eu posso divulgar aqui e também quero ler. Bom, o Andy já viu a Sophie, era o que vocês queriam kkkk eu sou apaixonada por esse carro, mas já que não posso ter pq sou pobre, minhas personagens terão. Um beijo 💋

Maira May : Não demoreeeei, postei mais rápido do que você, dona May. Está ai o cap, espero que goste, e se você me matar, não vai mais ter continuação u.u Beijos 💋

Caroline Andrade : Graças a Deus postei, né? kkkkk Esperou bem linda? O próximo cap saiu super rápido e já estou produzindo o outro, espero que goste. Beijos 💋

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Rebel Love Song cap.32

13 de Setembro de 2011, 3pm

O que se faz quando você de repente tem tudo, e ao mesmo tempo não tem nada? Eu tinha muito dinheiro mais do que eu precisava, juventude, amigas e uma filha linda. Mas ao mesmo tempo eu não tinha mais os meus pais, não tinha mais aquele que eu pensava ser o amor da minha vida, e minha felicidade cada vez mais se esvaia deixando espaço para uma enorme tristeza tomar conta de mim. Por fora? Eu era a pessoa mais forte e segura do mundo. Por dentro? Estava caindo ao pedaços, deixando pensamentos insanos tomarem conta de mim. Com as pessoas? Eu estava suportando tudo muito bem, até sorria. Sozinha? Eu chorava a cada segundo.
Graças a Deus minha Tia estava me ajudando com muitas coisas, apesar de nunca ter tido filhos, ela ajudava a minha mãe comigo, e agora me ajudava com a Sophie. Na verdade ela estava mais tomando conta de mim do que da Sophie. Eu não era muito ruim no quesito mãe, tentava me esforçar ao máximo, e dava toda a atenção do mundo para minha filha. Com o tempo fui pegando o jeito e então comecei a andar com minhas próprias pernas, sem a ajuda de Tia Bê, ainda sim ela sempre estava presente.

Tia Bê : Tem certeza que quer ir trabalhar?
Você : Eu tenho que me distrair um pouco, concorda? - sorri de canto e ajeitei minha blusa
Tia Bê : Concordo, mas não acho que você deva forçar isso - suspirou - Eu sei o quanto é difícil, eu perdi a minha irmã, mas acho que devemos dar um tempo pra a dor ser sentida
Você : Eu sei, mas eu realmente preciso ir - falei segurando as lágrimas com o restante das forças que eu ainda tinha
Tia Bê : Tudo bem. Eu e a Sophie vamos ficar nos divertindo aqui - sorriu enquanto enxugava uma lágrima que acabara de cair
Você : Aproveitem bem - sorri de canto e sai, rumo a garagem. Pois é, eu comprei um carro, dirigir me distraia e eu não gostava de depender de taxi e de carona. Na verdade eu comprei 2, mas não foi pra mostrar que eu tinha dinheiro nem nada do tipo, deixe-me explicar, eu sempre achei lindo carros desportivos, mas eu não podia andar com a Sophie em um carro desportivo, é meio que ilegal andar com um bebê no banco da frente, sabe, então acabei comprando 2.


 

Entrei no carro preto, e dirigi até a Lava Records, mais um dia de reuniões e gente enchendo meu saco estava por vir. Dei boa tarde a recepcionista como sempre, e entrei no elevador encontrando quem eu menos queria ver.

Juliet : Olha só, você anda frequentando muito essa gravadora, não é?
Você : Se você quer dizer que eu estou trabalhando na minha própria empresa, então acho que sim
Juliet : Estou dizendo que você quer estar aqui por outro motivo - rolei os olhos
Você : Tenho muitos motivos pra vir aqui, sinto muito desaponta-la mas você com certeza não é um deles
Juliet : Mas o meu namorado é
Você : Quem é seu namorado?
Juliet : Não se faça de sonsa
Você : Ah é, esqueci que você namorava o Andrew
Juliet : Eu vejo o jeito que você olha e dá em cima dele, acho bom você parar com isso, senão
Você : Senão o que? - fiquei de frente para ela -  Não que eu te deva alguma explicação, mas meu bem, eu não tenho nenhum interesse nele a não ser profissional, mas se você tem tanto ciumes assim deve ser pq não está segura se está fazendo a coisa certa entre os lençóis. Não volte a me irritar, ou as coisas podem ficar feias pra você, mais do que já são. Ah, e quer um conselho de amiga? Talvez uma leitura no kamasutra e um bom cirurgião plástico deem um jeito nessa sua baixa autoestima - sorri sarcástica, a porta do elevador abriu e eu sai, deixando uma Juliet com cara de taxo e indignada ao mesmo tempo
Lisa : Parece feliz - disse ao me ver entrar na minha sala sorrindo, aonde ela estava me esperando
Você : Só fiz uma coisa que eu estava querendo fazer a um tempo
Lisa : Isso é bom - sorriu
Você : Então, o que temos para hoje?
Lisa : Você precisa assinar alguns papeis, pra fechamento de contrato, tem 2 reuniões com agentes e acho que por hoje é só - ela dizia enquanto olhava a agenda
Você : Só? - ri e sentei na minha cadeira - Sabe, eu não achei que fosse dizer isso, mas eu gosto de trabalhar aqui, quer dizer, estou lidando com algo que eu sempre amei que é a musica, então é muito gratificante
Lisa : Sério? A Senhora quer que eu comprei outra gravadora? - sorriu, a olhei e ela parecia não ter a mínima noção do que dizia, quer dizer, ela tinha noção é claro, mas acho que eu não tinha
Você : Er ...
Lisa : Eu entendo, novos ricos as vezes esquecem que são ricos - ela riu
Você : As vezes eu perco a noção de tudo - a olhei - Mas deixa essa de comprar uma nova gravadora pra depois, agora eu estou focada aqui
Lisa : Tudo bem. E como está a Sophie?
Você : Está bem, ficou com minha Tia, como sempre - folheei algumas paginas dos arquivos que Lisa deixara em cima da mesa
Lisa : Está tudo ai, qualquer duvida pode perguntar - disse sentando no sofá. Li e reli todos aqueles arquivos, fiz tudo o que tinha que fazer na gravadora, e quando era mais ou menos 7:40pm fui para a garagem, entrei o meu carro novamente e voltei para casa, tudo normal. Assim que fechei a porta a campainha tocou, eu nem havia tirado a mão da maçaneta da porta, então a girei novamente e abrir. Para a minha surpresa, era alguém que eu nunca esperava ver ali
Thomas : Oi, (Seu Nome) - ele sorriu docemente
Você : Mds, Thomas - olhei surpresa, claro que eu jamais esperava vê-lo - Nossa, que surpresa, entra - dei espaço para ele entrar, e ele o fez
 Thomas : É, você simplesmente sumiu
Você : Algumas coisas aconteceram ... mas a que devo a honra da sua presença?
Thomas : É que você saiu, e acabou não recebendo seu salário ... não que ache que você vai precisar agora - disse olhando a casa em tom abismado, e me entregou um envelope - Suas amigas me deram seu endereço
Você : Ah, verdade, eu tinha esquecido isso, mas não precisava se preocupar - o olhei devolvendo o envelope
Thomas : Por favor, aceite, senão eu posso ser processado por isso, e você sabe - riu, me fazendo rir um pouco
Você : Ta bem - peguei, colocando em cima de uma mesa de canto - Mas você veio aqui só pra isso? Não precisava mesmo
Thomas : Na verdade, eu vim pq queria te ver - o olhei confusa - Talvez você já tenha percebido, mas eu sempre fui apaixonado por você, e eu nunca tive coragem de dizer isso, ainda mais pq eu era seu chefe e tudo mais - posso dizer que nem em sonhos eu estava esperando por isso, certo? - E agora eu finalmente tive essa coragem, então o salário foi uma desculpa pra vir aqui e te convidar pra sair
Você : Er ... nossa
Thomas : Eu sei que é muito pra assimilar
Você : Sim, é sim - respirei fundo -  Eu nunca pensei que você sentisse isso por mim
Thomas : Sério? Pq eu acho que sempre deixei isso muito na cara
Você : Talvez seja pq eu sou muito lerda ... mas enfim, eu adoraria sair com você - claro, pq não? Era só encontro, nós não íamos nos casar nem nada do tipo, sem falar que ele era uma pessoa maravilhosa e além de tudo era gato
Thomas : Me diz que eu não to sonhando - ele sorriu fofo - Isso é incrível, eu já estava pronto pra receber um fora
Você : Não seja tão negativo - sorri, conversamos mais um pouco e ele foi embora, disse que me ligaria para marcar o nosso tal encontro

(esse é o Thomas)

Passei o restante da noite conversando com a minha Tia, que estava praticamente morando comigo, e cuidando e paparicando minha Sophie.

15 de Setembro de 2011, 5:53pm - Lava Records

Eu parecia uma criança andando pelo corredor enquanto tomava meu frappuccino que Margaret tinha trago para mim. Estava andando tão distraída, que quase me engasguei ao dar de cara com Ashley Purdy, parado bem a minha frente me olhando.

Ashley : O que a starbucks faz com uma pessoa - disse se referindo a minha animação infantil. Não respondi nada, apenas continuei andando como se não tivesse escutado ou o visto ali - (Seu Nome), espera, eu quero falar com você
Você : Não acho que tenhamos algo para conversar
Ash : Temos sim. Eu quero - ele protelava contra ele mesmo, como se aquilo fosse extremamente difícil de ser pronunciado
Você : Você quer? - o olhei, um pouco impaciente pra falar a verdade
Ash : Eu quero te pedir desculpas
Você : Pelo que?
Ash : Sobre toda aquela história. Eu sou um babaca, sempre fui, e provavelmente sempre serei, eu sei disso e todos sabem, mas eu não devia ter insistido pro Andy fazer a mesma coisa - ele me olhou sincero - Me perdoa
Você : Não tenho pelo que te perdoar, Ashley
Ash : Se não fosse por minha causa, nada daquilo teria acontecido, e eu não teria que ver o meu melhor amigo sofrer como sofre, e nem ter magoado você
Você : As ações do Andrew foram tomadas por ele, não por você. Sinceramente não tenho raiva de você - e era a mais pura verdade, eu não tinha nenhum tipo de raiva do Ashley - Você pode ser o que for, mas eu não tenho raiva do que fez, não foi você quem me magoou - ele suspirou fundo
Ash : Mesmo assim, eu ainda me sinto culpado ... - ele me olhou, como se estivesse pensando se diria ou não o que estava em sua mente - Não tem nenhuma chance de você perdoa-lo?
Você : Mas eu já fiz isso - ele me olhou confuso
Ash : Eu quis dizer, voltar com ele
Você : Sobre esse ponto, eu posso lhe dizer com certeza de que não há chances. Sem mencionar que ele tem namorada
Ash : Aquela va ... valiosa mulher, não é bem quem ele gosta - confesso que senti um pouco de vontade de rir
Você : Mas é com quem ele escolheu estar
Ash : Enfim ... sem ressentimentos?
Você : Claro - o abracei em sinal de paz. A porta que estava a alguns metros de distância de nós se abriu, e da lá saiu um lindo rosto que eu conhecia bem, que me olhou confuso

~Andy's POV

Estávamos mais uma vez discutindo sobre filmografia de videos. Sinceramente, eu não sei pq brigávamos tanto a respeito daquilo, se quase todos tínhamos a mesma opinião. Mas como sempre Jinxx tinha algo a dizer, então voltávamos para o mesmo ponto em que começamos. Ash não aguentou por muito tempo, e saiu dando a desculpa de que precisava molhar a garganta, mas ele já demorava demais, e eu precisava de ajuda ali. Ok, tenho que ir procura-lo, como sempre. Abri a porta e o que eu vi me chocou, ele estava a abraçando, abraçando a minha (Seu Nome), ta bem, não temos nada, mas na minha cabeça eu ainda posso chama-la de minha, na minha cabeça ela ainda é minha, nunca deixou de ser.

Eu : Er ... Ash, a gente precisa de você pra terminar - foi o que eu consegui dizer, não sei se estava nervoso, com raiva ou confuso, eram muitas sensações pra assimilar. Eles desfizeram o abraço, e ela me olhou, seus olhos azuis pareciam profundamente tristes, por mais que ela tentasse mascarar isso
Ash : Ta bem - ele voltou a olha-la - Obrigado
(Seu Nome) : Não há de quê - sorriu com o canto do lábio
Eu : Oi - oi, depois de tantas vezes que ensaiei na minha cabeça o que dizer a ela quando a visse mais uma vez, oi foi a unica coisa que saiu da minha boca, e eu estava parecendo um babaca ao pronunciar aquelas duas letrinhas
(Seu Nome) : Oi - ela se limitou a me responder apenas isso, também não posso esperar muito
Eu : E ... eu - pq as palavras não saem? Eu não conseguia pronunciar nada mais do que 'oi'. Isso vinha acontecendo todas as vezes que eu a via, e eu não sei o pq
Ash : Então, vamos indo - Ash praticamente me empurrou de volta pra dentro da sala, e fechou a porta. Eu quis o matar e ao mesmo tempo o agradecer - Cara, parece que tá piorando
Jake : O quê?
Ash : Andy viu a (Seu Nome) e não conseguiu nem falar um 'como vai'
CC : Ele ta regredindo, mds
Eu : Eu só fiquei nervoso, não foi nada demais
Ash : Sério, pq você tava com cara de quem ia desmaiar a qualquer momento
Eu : Será que ela percebeu?
Ash : Ao contrário de você, ela não é imbecil
Eu : E pq você estava abraçando ela?
Jinxx : Hiii...
Ash : Era só um abraço, fica relaxado ai, ela não quer nada comigo. Como eu disse, ela não é imbecil
Eu : Então pq o abraço? Pq tava falando com ela? - se eu estava desesperado? um pouco talvez
Ash : Meu bem, isso é assunto pessoal
Eu : Você não tem assuntos pessoais com ela
Ash : E você não tem nada com ela, bota isso na sua cabeça
Jinxx : Primeira vez hoje que ele fala algo sensato
Jake : Andy, você agora tem a Juliet, e já ficou bem claro que a (Seu Nome) não quer nada com você. Foca no presente, cara, deixa o passado pra lá - eles estavam certos, não havia motivos para ciumes, ela não sentia nada por mim, nem amor, nem ódio, e isso era pior do que tudo, ela literalmente me desprezava
Eu : Acho que no vídeo nós podemos colocar umas tochas e tudo mais - eles entenderam que 'seguir em frente' era o tema agora e respeitaram isso

Depois de alguns minutos discutindo mais, eles chegaram a um acordo. Eu não fazia ideia do que tinham decidido, eu simplesmente tinha desligado minha mente, e o único foco era (Seu Nome). Eu tentava, juro que com todas as minhas forças eu tentava esquece-la, e ainda sim, 8 meses depois do nosso trágico rompimento, eu ainda não tinha conseguido esquecer.

Todos foram embora, e eu fiquei, com a desculpa de que iria pegar copias de contrato com Lisa, mas a verdade é que eu só queria um tempo sozinho, sem nenhum deles para me julgar mentalmente. Fiquei na sala, a mesma sala que eu ficava quase todos os dias, olhando pela janela as luzes da cidade de Los Angeles. Eram exatamente 7:12 quando entrei no elevador, sozinho, as portas começaram a fechar e uma mão delicada as fez pararem. O rosto da dona daquela mão já era bem conhecido, ela pareceu estar surpresa por me ver, e entrou, também sozinha, e sorriu com o canto do lábio. Vinte e nove andares. Vinte e nove andares nos separavam do chão, e a julgar pelo horário, aquele elevador não iria ter muita movimentação. Então era isso, ficaríamos presos ali por um tempo

Eu : Como você está indo?
(Seu Nome) : Bem, relativamente bem. E você?
Eu : Relativamente bem - a olhei e sorri, ela me olhou nos olhos e sorriu junto, mas imediatamente desviou o olhar
(Seu Nome) : Então, eu soube que o álbum ficou pronto
Eu : Sim, ficou, depois de muito trabalho ficou
(Seu Nome) : Que bom - ela olhava o painel, provavelmente contando os segundos para sair dali. Simplesmente o silêncio tomou conta daquele cubículo, e como esperado, ninguém mais entrou naquele elevador. Tudo ficou ainda mais estranho quando ela andava e eu praticamente a seguia pq estávamos indo para o mesmo lugar, a garagem. Ela parou em frente a um carro preto, que provavelmente custava a minha casa, meu carro e toda a minha conta bancária junta.
Eu : Carro legal
(Seu Nome) : Obrigada - disse abrindo a porta do mesmo
Eu : Olha, eu não aguento mais isso, sinceramente, eu não aguento mais estar perto de você e não poder falar com você. Não aguento ficar tentando te evitar, e quando eu consigo falar com você, tudo que eu ensaio magicamente some da minha cabeça, e eu não sou capaz de pronunciar mais nada além de um 'oi' - ela me olhava surpresa
(Seu Nome) : Pra quem não consegue pronunciar muita coisa, você falou bastante - voltei a paralisar de novo, tentando achar as palavras mas nada parecia plausível. Eu a olhava, praticamente implorando com os olhos pra que aquilo terminasse. E acho que ela teve pena de mim - Eu já te perdoei, o que mais você quer?
Eu : Eu ... eu
(Seu Nome) : Se isso te faz melhor, nós podemos ser amigos. Sem ressentimentos, apenas bons amigos. Eu juro que vou tentar me esforçar ... de acordo? - ela falou gentil e calmamente. Apesar de não ser isso que eu realmente queria, ser amigo e poder ter alguma uma relação com ela já era melhor do que o que eu tinha no momento. Então eu seria o melhor amigo que ela pudesse ter, mesmo que no fundo eu a quisesse de outra maneira
Eu : De acordo - sorri do melhor jeito que pude, e ela me estendeu a mão - Então, nós podemos sair pra jantar?
(Seu Nome) : Acho que jantar ultrapassa um pouco o limite da amizade, mas eu aceito um passeio e um café - sorriu sincera, com aquele sorriso lindo que eu amava tanto
Eu : Tudo bem então. Amanhã, pode ser? - não vou forçar tanto a barra assim
(Seu Nome) : Claro
Eu : Eu passo na sua casa então, você me dá o endereço?
(Seu Nome) : Ah ... - ela pareceu se dar conta de algo - Eu acho melhor nos encontrarmos no local. Boa noite, Andr ...Andy - ela entrou no carro, e deu partida, logo sumindo da minha vista. Eu não podia imaginar que aquilo estava realmente acontecendo

Entrei tão animado no carro, que só depois me lembrei de que eu não tinha o seu número. Bem ... eu ira precisar ligar pra Lisa. Fui para casa, cheguei cantarolando e dei um beijo na testa de minha mãe, que parecia estar vendo um fantasma ao me ver naquele estado. Tomei um banho e sentei na cama, ignorei todas as mensagens de ligações de Juliet, então peguei um papel e comecei a rabiscar. Quando terminei, olhei orgulhoso para a letra da musica, ela se chamaria Rebel Love Song.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Então gente, o cap 32 ta ai, não sei quantos anos depois. Eu realmente não conseguia escrever nada, mas enfim, terminei mais um capitulo, espero que gostem, isso se eu ainda tiver leitoras. Um abraço. 

Letra de Rebel Love Song para quem não sabe : Rebel Love Song